“Eu me senti muito sozinha e esquisita. Foi até ficar mais velha que percebi que era uma de muitos, e que haviam muitas pessoas que tinham superado o que eu estava passando.”

Brittany Snow teve depressão, ansiedade e distúrbio alimentar.Uma atriz e cantora, Snow começou sua carreira na série Guiding Light da CBS e depois interpretou a protagonista Meg Pryor na série da NBC American Dreams (2002) pela qual foi indicada para o Young Artist Award  e três Teen Choice Awards. Dentre os papéis mais conhecidos de Snow incluem Kate Spencer em Todas Contra John (2006) e Chloe Beale em A Escolha Perfeita (2012). Snow conversou abertamente sobre sua batalha com o distúrbio alimentar e sua co-criação do Love is Louder Moviment com a JED Foundation para apoiar qualquer um que se sinta maltratado, sem esperanças ou sozinho.Milhares de pessoas, campus e comunidades usaram programas, eventos e clubes do Love is Louder para tratar de questões como bullying, imagem corporal, discriminação e depressão.

Brittany Snow (@brittsnowhuh) não é um floco – ela apenas trabalha na trilogia de A Escolha Perfeita. Fora da tela, a jovem atriz abre-se sobre suas lutas pessoais e devoção para ajudar os outros.

Por que você acha que os amantes do cinema te amam tanto?

Eu sou muito sensível e intuitiva, o que no passado trabalhou contra mim. Cheguei na minha cabeça e à minha maneira. Agora eu sinto que minha sensibilidade e intuição é talvez a razão pela qual as pessoas sentem que podem se relacionar comigo. Eu uso meu coração na minha manga e eu acho que as pessoas podem sentir isso.
Como você se sente sobre ser um modelo para adolescentes?
Eu não lido com isso levemente. Estou honrada, mas não penso nisso demais. Eu tento tomar as melhores decisões para mim e em quem eu quero tornar-me.

Você interpretou tantos personagens interessantes, de uma adolescente neo-Nazista em Nip / Tuck para a boa garota ‘torta de maçã’ Chloe em A Escolha Perfeita.Qual foi o mais importante para você?
Provavelmente em um curta-metragem que fiz  chamado Call Me Crazy, senti-me mais conectada ao meu personagem. A força nesse personagem para combater a doença mental, e a representação fiel disso, era algo que eu me sentia muito inspirada a fazer corretamente.

Você era alguém como Chloe no ensino médio?
Definitivamente não. Eu era muito tímida no ensino médio. Eu só fui a um ano de ensino médio normal e isso foi bom o suficiente para mim. Não consegui descobrir como encaixar. Eu definitivamente não estava tão confiante ou tão feliz como Chloe.

Você já lutou contra uma fraqueza ou insegurança que eventualmente se tornou uma força?
Eu estava com um ex-namorado que eu valorizei e respeitei há muito tempo, que me disse que eu era “demais”. Eu era muito sensível, muito complicada, muito diferente. Isso realmente me afetou por um tempo. Tentei me mudar para ser menos, porque eu o amava. Não foi até eu sair desse relacionamento que eu percebi que as coisas que viu como fraquezas me tornaram forte, interessante e única. Adoro que eu seja diferente e nunca mudei para me ajustar a um molde do que alguém quer que eu seja. Eu nunca sou chata e isso é bom.

Por que você criou o ‘Love is Louder’?
Senti-me compelida a ajudar e compartilhar minha história [sobre suas próprias lutas com anorexia, depressão e auto-mutilação] porque outras histórias me ajudaram a superar momentos difíceis. Sete anos atrás, não havia tanta honestidade por aí, especialmente online, e eu queria criar uma comunidade de pessoas que foram corajosas o suficiente para compartilhar sobre si próprios e a sua verdade. Eu queria ajudar a trazer a consciência para a saúde mental. Eu queria criar um lugar onde todo mundo pudesse sentir-se incluído e acolhido. A ‘Love Is Louder” [#LoveisLouder] equipe funciona mano-a-mano com os defensores de campi (principalmente escolas e faculdades) para ajudá-los a descobrir a melhor maneira de resolver questões como assédio moral, a imagem corporal, a discriminação e a depressão.

Qual é a única coisa que você deseja poder mudar sobre a indústria do entretenimento?
Os animadores críticos estão constantemente para baixo. Se você está na indústria do entretenimento, ou não, somos todos seres humanos e todos temos sentimentos. Não sei como as pessoas famosas fazem — a pressão de olhar e agir de um modo realmente deve pesar sobre eles. Estou feliz por não ser tão famosa, para que eu possa ir ao Starbucks de pijama. Artistas devem usar, fazer, olhar, sair e ser quem eles querem ser sem críticas. É tudo muito estranho como isso é difícil de mudar. A pressão para manter essa beleza é ridículo. Isso é besteira.

Como você lida com a rejeição?
Rejeição nunca é fácil. Acho que é interessante quando as pessoas dizem que eles estão acostumados. Não acho que eu vou nunca me acostumar com a sensação de me dizerem que eu não estou la… e isso é OK. Acabei de saber sobre o tempo para ter uma núcleo de compreensão de quem eu sou e se agarrar a isso. Eu sei quem eu sou, como sou exclusiva, o que trazer para a mesa, e ninguém pode tirar isso de mim. Geralmente apoiar os meus amigos, ouvir uma boa música e meter-me em algo criativo. Então, eu sou para minha próxima coisa.

Muito grata pelo quê?
Meu cachorro, meus amigos, meu passado que fez me super forte, filmes bonitos, que batatas-doces são consideradas um vegetal e o fato de que sempre haverá próxima canção favorita para ouvir mais e mais.

Fotos para Gio Journal

Tradução por Brittany Snow Brasil
Matéria: Gio Journal

Atriz, cantora e dançarina Brittany Snow tem um trabalho com muita demanda, então através dos anos ela aprendeu a cuidar de si mesma seriamente. A estrela de A Escolha Perfeita 3 tem suas prioridades listadas: Comer bem, abraçar seus pontos fortes, e nunca, nunca comparar seu corpo.

Seu corpo acordando

“Quando eu completei 30, olhei para minha vida e quando fiz isso percebi que sempre estive em uma dieta e trabalhando para ser o tamanho de uma modelo.Eu pensei, tenho 1,60 metros de altura, e herdei o corpo musculoso e lindo da minha mãe – isso não vai acontecer. Então eu comecei a comer melhor e a cuidar de mim mesma—Eu sou quase 100% vegana, e estou fora de lácteos e glúten. Eu percebi que minha saúde e felicidade eram mais importantes do que estar na academia o tempo todo.”

Sabotagem Social

“Eu acho que como uma sociedade, estamos sempre olhando as redes sociais para nos comparar com a forma como as outras pessoas parecem e comem. Eu coloco Instagram e Twitter em categorias separadas no meu celular, então eu não olho eles todo o tempo e não estou constantemente atualizada sobre o que as outras pessoas estão fazendo.Acho que as pessoas usam as redes sociais para comparar si mesmas com os outros demais, e isso tem efeitos psicológicos realmente negativos.”

Energizadores

“Em dias quando preciso manter minha energia, eu tento comer realmente bem. Tento não tomar cafeína demais através do café pela manhã. No ano passado, comecei a meditação por 10 a 15 minutos por dia, o que é super importante para mim. Eu não sou uma pessoa matutina, mas eu me forço a exercitar antes do trabalho, o que me dá um impulso energético.”

Lugares Comerciais

“Conforme fui crescendo, tive grande problema em trabalhar e fazer dieta. Eu queria tanto ser como as garotas que eu via em revistas fitness. Eu achava que esse era o princípio ideal para a felicidade. Agora as pessoas olham para mim assim quando eu faço sessões de fotos. Eu queria que alguém tivesse me dito naquela época que a forma como uma mulher parece em uma foto, não tem nada a ver com quem ela é.”

Auto-ajuda

“Auto estima é descobrir o que realmente importa para você, o que muitas vezes não tem nada a ver com a maneira que o mundo o vê. É difícil porque todos sentem pressão para se adequarem. Eu derivei minha validação da espiritualidade, amigos, meditação, trabalho duro, s ser criativa, não de procurar determinado caminho para as outras pessoas.”

Pode apostar que amo minha forma!

“É forte não só psicologicamente mas também emocionalmente. Eu estava frustada com o meu tipo de corpo como uma criança. Eu tinha músculos sem treinamento e falhei quando tentei perder peso.Agora venho apreciando o fato de ser uma atleta.”

Brittany Snow está alcançando todas as notas certas! A estrela de A Escolha Perfeita, que fez parceria com SweeTARTS para lançar SweeTARTS Acapellooza Contest and Concert, falou exclusivamente com a Us Weekly sobre seu próximo filme e o amor por acapella.

“Eu realmente não tinha ouvido falar sobre acapella antes de A Escolha Perfeita”, revelou. “Então eu percebi o quão grande é esse mundo e as pessoas apaixonadas sobre isso.”

 


As ‘aca-bitches’ estão batendo nas telonas pela terceira vez, e o American Dreams album, 31, pode não gostar. “É a nossa coisa favorita para fazer. Nós faríamos esse filme para sempre, não só porque somos uma família, mas também porque já estamos em uma rotina e um sistema e compreendemos a comédia dos outros”, ela nos disse. “O nosso diretor nos deixou improvisar tudo o que queríamos fazer. A maior parte do filme é basicamente o que queríamos falar e como queríamos falar isso, o que nos outros dois estava praticamente preso no roteiro.”

Quanto à quanto tempo Brittany Snow e o resto das Barden Bellas praticam antes de filmar, a atriz nos revelou que a rotina para o treino de dança e canto começa um mês antes. “As primeiras duas ou três semanas de ensaios são apenas focadas separadamente na dança e depois no canto…as duas últimas semanas antes nós precisamos juntar tudo isso, estamos todas extressadas”, ela adiciona.

Snow nunca previu que a franquia se tornaria um sucesso e só percebeu a extensão até que as crianças começaram a se vestir como as Bellas para o Halloween. “No primeiro A Escolha Perfeita, era um roteiro realmente inteligente e espirituoso que ninguém havia feito antes em termos do tipo de comédia, e o canto acapella em particular. Definitivamente todas estávamos tendo a chance,” a estrela de Todas Contra John explica. “Eu acho que quando garotinhas estavam se vestindo como nós para o Halloween foi quando percebi como ‘Oh, esse filme é um sucesso.'”

Brittany Snow estrelará o suspense dramático Stripped ao lado do ator Charlie Cox (Demolidor; A Teoria de Tudo), produzido por  Lorenzo di Bonaventura e Erik Howsam de Di Bonaventura Pictures e O’Brien em parceria com o Lighthouse Pictures.

Escrito por Matthew O’Brien, a história segue Will Hickey (Cox), um profissional casado que torna-se cada vez mais obcecado em uma prostituta, levando-o por um caminho escuro de decepções e assassinato. Snow interpreta a esposa do Will, Penny.

O projeto está programado para começar a produção em Vancouver neste outono.

Fonte: Deadline

 

Bushwick é um pouco diferente de A Escolha Perfeita…qual foi o apelo?

No começo eu estava realmente hesitante em fazer o filme – Eu pensei que tinha uma premissa do filme B. Mas eu conversei com os diretores e eles explicaram que queriam uma sensação de um jogo de video de ação única e queriam uma facada no que estava acontecendo no clima atual. O que me atraiu foi a ideia de que eu só tinha uma ou dois levas para fazer uma cena de 20 minutos e foi quase como ensaio e fazer uma peça. Eu nunca tinha feito um filme assim antes.

Você trabalhou em sua personagem?

Sim. Quando temos o script, minha personagem Lucy era muito uma donzela em perigo. Ela perguntou, ‘O que está acontecendo?’ provavelmente, não é brincadeira, 30 ou 40 vezes [risos]. Como uma mulher de 29 anos de idade na época, eu disse, não era viável fazer isso, mexer com uma garota, que é de fora e tão perdida. Ela tem que ter algum tipo de arco e backstory, então tentamos incorporar isso como podíamos e fazê-la uma lutadora.

Em Bushwick, parece que o mundo está prestes a acabar. Você tem um plano de Apocalipse?

[Risos] Na verdade, é engraçado, um dos meus maiores medos é de zumbis. Eu vi o filme Epidemia com forma de Dustin Hoffman muito jovem quando criança — sempre presumi que zumbis eram um vírus longe desse filme. Então eu acho que acabaria caindo de medo se isso acontecesse. Mas o plano de um apocalipse em geral? Eu estava falando sobre isso com um amigo por causa do que está acontecendo no mundo, que é realmente assustador. Temos formulado um plano. Não é realmente infalível, mas é uma conversa.

O que podemos esperar de A Escolha Perfeita 3?

Parecia que seria difícil reunir todas aquelas garotas, porque todas saíram da faculdade e cresceram agora, mas conseguiram fazê-lo, elas fizeram uma turnê. Ainda não o vi, mas eu ouvi dizer que é realmente ótimo e Trish Sie, nossa diretora atual, realmente deixa muitos de nós melhorar e ser nossos personagens.

Você cantou Research Me Obsessively na comédia de TV Crazy Ex-Girlfriend – você já pesquisou alguém obsessivamente?

Ah, sim, é claro, agora está tão disponível, você tem que parar de verificar as pessoas. É útil. Antes de sair com caras ou mesmo antes de uma reunião com produtores, eu olho o Instagram para ver se eles estão fazendo sinais de paz ou algo assim.

Você já cancelou um encontro por causa disso?

Não, na verdade, esse é um bom ponto – isso seria horrível porque espero que eu dê às pessoas o benefício da dúvida. Mas Instagram conta muito sobre alguém.

Algum “pet peeve” (implicância/algo que irrita)?

Sou muito sensível a cheiros e sons. Se alguém tem muita água de colônia eu não aguento… ou se alguém está rangendo os dentes posso ouvi-lo. Eu deveria relaxar mas eu realmente pego essas coisas.

Qual o momento com mais e menos glamour ultimamente?

Oh, deus, há tantos momentos não glamourosos. A coisa mais glamourosa que fiz por um tempo seria ir a Cannes para Bushwick. Havia festas em iate e me senti tão fora do lugar. Eu não sabia o que fazer com as minhas mãos e estava em um canto em algum ponto. Provavelmente, o mais desagradável seria correr para reuniões com batatas fritas no meu carro, falando ao telefone, vestindo-me porque eu estou atrasada.

Você canta pela casa?

Canto. Meu cachorro provavelmente pensa que estou muito louca porque estou constantemente cantando para ele, não muito bem, mas isso me faz sentir melhor, eu acho. E isso me faz sentir como se houvesse mais alguém.

Qual o seu estilo?

Seria clássico e sem esforço e um pouco de garoto. Meu amigo estilista é muito mais uma senhora, ela quer sempre me fazer muito Jackie O. Eu estou sempre empurrando para trás!

O que está por vir?

Estou me preparando para filmar um pequeno filme que escrevi e vou direcionar, então é animador. Eu também fiz um filme chamado Hangman com Al Pacino e Karl Urban. Isso foi ótimo, trabalhei com eles e aprendi com Al. Ele não é apenas um dos atores mais prolíficos e incríveis do mundo, mas um ser humano incrível.

Fonte: metro.news

Produzido em 2016, e vendido esse ano durante o Sundance Film Festival, Bushwick teve seu primeiro trailer exclusivo divulgado pela Yahoo – Movies. Além do trailer, um pôster exclusivo também foi divulgado. Leia mais

Durante o penúltimo dia do evento VidCon, ocorrido sábado (24/06), uma parte do elenco de A Escolha Perfeita 3 esteve presente para divulgação do primeiro trailer do filme.

Sinopse

Agora formadas na faculdade e fora no mundo real, onde é preciso mais do que uma cappella, o retorno das Bellas em A Escolha Perfeita 3, o próximo capítulo da amada série que recebeu mais de US $ 400 milhões de vendas na bilheteria global.

Depois das elevações de ganhar o Campeonato Mundial, as Bellas se encontram separadas e descobrem que não há perspectivas de emprego para fazer música com a boca. Mas quando elas tem a chance de se reunir para uma turnê no exterior da USO, esse grupo de incríveis nerds se unirá para fazer algumas músicas, e algumas decisões questionáveis, uma última vez.

Assista ao trailer legendado oficial:

A Escolha Perfeita 3, que estréia dia 22 de dezembro nos cinemas tem trailer próximo a ser lançado. A conta oficial do filme divulgou um pequeno vídeo dos bastidores do filme na sexta feira (18/06) e hoje foi finalmente divulgada a data de estréia do trailer oficial. Leia mais

Brittany esteve presente dia 13/06 no evento Women in Film- 2017 Crystal + Lucy Awards ocorrido em Beverly Hills. A recepção do evento ocorreu no dia anterior, 12/06,onde Brittany também esteve presente. Crystal e Lucy Awards tem como objetivo homenagear as mulheres extraordinárias que com o excelente trabalho vem ampliando o papel das mulheres no setor de entretenimento. Leia mais